TERMOS E
CONDIÇÕES GERAIS

Condições holandesas de envio

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DA FENEX

© Direitos de Autor FENEX, 2004 1-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de forma alguma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.

CONDIÇÕES GERAIS DA FENEX (Organização Holandesa de Remessas e Logística)

apresentada na Secretaria dos Tribunais Distritais de Amesterdão, Arnhem, Breda e Roterdão em 1 de julho de 2004

Escopo
Artigo 1.
1. Estes termos e condições gerais aplicam-se a qualquer forma de serviço que o remetente fornece. O remetente no contexto destes termos e condições não significa exclusivamente o remetente conforme referido no Livro 8 do Código Civil Holandês. O cliente do despachante é considerado a pessoa que dá a ordem para a execução das operações e do trabalho ao despachante, independentemente do método de pagamento acordado.
2. No que se refere a atos e atividades, como corretores de navios, estivadores, transportadoras, corretores de seguros, empresas de armazenamento e inspeção etc., realizados pelo transportador, as condições habituais no setor em questão ou condições cuja aplicabilidade é estipulada também se aplicam.
3. O remetente está sempre capacitado a declarar disposições aplicáveis ​​a partir das condições de terceiros com quem celebrou acordos para a execução de uma determinada ordem.
4. O remetente tem o direito de executar a ordem e / ou o trabalho relacionado realizado por terceiros ou com funcionários de terceiros. Na medida em que esses terceiros ou os seus funcionários sejam legalmente responsáveis perante o cliente do remetente, é estipulado em seu nome que estes serão considerados empregados exclusivamente pelo remetente no trabalho para o qual o remetente os utiliza. Relativamente a estes, todas as cláusulas relativas à exclusão e limitação de responsabilidade, bem como à indeminização do despachante, conforme descrito nestes termos e condições, serão aplicáveis.
5. Os pedidos de pagamento em dinheiro na entrega, levantamento bancário etc., são considerados operações de remessa.

Conclusão do acordo
Artigo 2.
1. Todas as ofertas feitas pelo remetente não acarretam obrigação.
2. Todos os preços oferecidos e acordados baseiam-se nas tarifas, salários, custos de medidas e / ou leis sociais, frete e taxas de câmbio aplicáveis ​​no momento da oferta ou na conclusão do contrato.
3. Na eventualidade de uma alteração num ou mais desses fatores, os preços oferecidos ou acordados também serão alterados com efeito retroativo e até ao momento da alteração.

O remetente deve ser capaz de provar as alterações. © Direitos de Autor FENEX, 2004 2-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.

Artigo 3.
1. Se o remetente cobrar tarifas com tudo incluído ou fixas, estas tarifas deverão ser consideradas como incluindo todos os custos geralmente suportados pelo remetente no curso normal do pedido.
2. Salvo disposição em contrário, as tarifas com tudo incluído ou fixas não incluem taxas e impostos, custos de consulado e legalização, custos para a elaboração de garantias bancárias e prémios de seguro.
3. Compensações adicionais - a serem determinadas com justiça - podem ser cobradas por desempenho especial, trabalho incomum, demorado ou intensivo.

Artigo 4.
1. Na eventualidade de tempo insuficiente de carga e / ou descarga - independentemente da causa -, todos os custos resultantes, como taxas de transferência etc. serão suportados pelo cliente, mesmo quando o remetente aceitar o conhecimento de embarque e / ou a parte fretada, da qual surgem os custos adicionais, sem protesto.
2. Os custos extraordinários e salários mais elevados, que surjam quando as empresas de transporte, de acordo com qualquer disposição nos documentos de transporte relevantes, passam a carregar ou descarregar ao fim do dia, durante a noite, aos sábados ou domingos ou feriados, não estão incluídas nos preços acordados, a menos que isso seja acordado e tendo sido negociado separadamente. Tais custos devem, portanto, ser reembolsados ​​pelo cliente ao remetente.

Artigo 5.
1. O seguro de qualquer tipo será fornecido apenas às custas e riscos do cliente, mediante pedido expresso por escrito. Os riscos a serem segurados devem ser claramente indicados. Apenas a declaração de valor não é suficiente.
2. Se o remetente tiver contratado seguro em seu nome, este só é obrigado - se solicitado - a transferir as suas reivindicações contra a seguradora para o cliente.
3. O remetente não é responsável pela escolha da seguradora e pelo seu crédito.
4. Se o remetente usar cavaletes e ferramentas semelhantes no desempenho do pedido, este poderá contratar um seguro que cubra os riscos que o remetente possa derivar do uso destas ferramentas às custas do cliente.

Artigo 6.
1. O fornecimento das informações exigidas pelas formalidades aduaneiras ao expedidor deve incluir instruções para esse efeito, salvo acordo em contrário por escrito.
© Direitos de Autor FENEX, 2004 3-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.

Execução do Contrato
Artigo 7.
1. Se o cliente não tiver determinado regulamentos específicos a esse respeito em sua ordem, o método de expedição e a rota ficam ao critério do remetente, pelo qual o remetente poderá aceitar sempre os documentos habituais das empresas com as quais realiza o contrato fornecido.

Artigo 8.
1. O cliente é obrigado a garantir que as mercadorias estão disponíveis no local e horário acordados.
2. O cliente é obrigado a garantir que os documentos necessários para a receção e expedição, bem como as instruções, estão na posse do remetente de forma atempada.
3. O remetente não é obrigado, mas tem o direito de investigar se as declarações estão corretas e completas.
4. O remetente não é obrigado a receber uma garantia na ausência de documentos. Se o remetente fornecer uma garantia, o seu cliente é obrigado a indemnizá-lo contra todas as suas consequências.

Artigo 9.
1. Todas as manipulações, como verificação, amostragem, taras, contagem, pesagem, medição etc. e receção sob perícia judicial, só devem ser realizadas mediante instrução explícita do cliente e em troca de reembolso de custos.
2. No entanto, o remetente tem o direito, mas não a obrigação, de tomar todas as medidas que julgar necessárias, no interesse deste, por sua respetiva autoridade, às custas e riscos do cliente.
3. O encaminhador não atua como especialista. Não se responsabiliza por declarações de condição, natureza ou qualidade dos produtos, nem assume qualquer responsabilidade em relação à conformidade das amostras com o lote.

Artigo 10.
1. A adição "aproximadamente" permite ao cliente entregar 2,5%, mais ou menos.

Responsabilidade
Artigo 11.
1. Todas as ações e atividades são por conta e risco do cliente.
2. O remetente não é - sem prejuízo do disposto no Artigo 16 - responsável por qualquer dano, a menos que o cliente prove que o dano foi causado por falha ou negligência do remetente ou de seus subordinados.
© Direitos de Autor FENEX, 2004 4-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.
3. A responsabilidade do remetente é em todos os casos limitada a 10 000 SDR por evento ou série de eventos com a mesma causa de dano, entendendo que, em caso de dano, depreciação ou perda dos itens incluídos na encomenda, a responsabilidade será limitada a 4 SDR por kg de peso bruto danificado ou perdido, com um máximo de 4 000 SDR por remessa.
4. O dano a ser compensado pelo remetente nunca será superior ao valor da fatura das mercadorias a serem comprovadas pelo cliente, na ausência das quais o valor de mercado a ser comprovado pelo cliente será aplicado no momento em que o dano ocorreu. O remetente não é responsável por lucros cessantes, danos consequentes e danos imateriais.
5. Se durante a execução do pedido ocorrer um dano pelo qual o remetente não é responsável, o remetente deve fazer um esforço para recuperar o dano do cliente da pessoa responsável pelo dano. O remetente tem o direito de cobrar do cliente os custos incorridos. Mediante solicitação, o remetente transfere as reivindicações para terceiros contratados por este para a execução do pedido ao cliente.
6. O cliente é responsável perante o remetente por danos resultantes das (natureza das) mercadorias e da sua embalagem, imprecisão ou incompletude de instruções e dados, indisponibilidade ou disponibilidade tardia das mercadorias no local e acordados, bem como a falha no fornecimento de documentos e / ou instruções e a falha ou negligência em geral do cliente e dos seus subordinados e terceiros envolvidos e / ou empregados por este em geral.
7. O cliente deve indemnizar o remetente por reclamações de terceiros, incluindo subordinados do remetente e do cliente, que estejam relacionadas com danos mencionados no parágrafo anterior.
8. Mesmo que as tarifas fixas ou tudo incluído tenham sido acordadas, o remetente, que não realiza o transporte, não é responsável como transportadora, mas é responsável de acordo com essas condições.

Artigo 12.
1. A força maior aplica-se a todas as circunstâncias que o remetente não poderia razoavelmente evitar e cujas consequências o expedidor não poderia razoavelmente evitar.

Artigo 13.
1. Em caso de força maior, o acordo permanece em vigor, mas as obrigações do transitário são suspensas pelo período de força maior.
2. Todos os custos extras causados ​​por força maior, como custos de transporte e armazenamento, aluguer de depósito ou depósito, encargos de estagiários e permanentes, seguros, resultados etc., serão suportados pelo cliente e deverão ser pagos ao remetente mediante primeira solicitação.

Artigo 14.
1. A menção pelo cliente da hora da entrega não vincula o remetente.
2. O horário de chegada não é garantido pelo despachante, salvo acordo em contrário por escrito.
© Direitos de Autor FENEX, 2004 5-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.

Artigo 15.
1. Se os transportadores se recusarem a assinar o número da peça, peso etc., o remetente não será responsável pelas consequências.

Lei Obrigatória
Artigo 16.
1. Se as mercadorias não forem entregues no seu destino sem atraso no estado em que foram disponibilizadas, o expedidor, na medida em que realizou um contrato de transporte que concluiria com outra pessoa, é obrigado a fazê-lo sem demora para o cliente que informou o remetente do dano.
2. Se o remetente não fizer a notificação a que se refere o primeiro parágrafo e, consequentemente, não for posteriormente chamada como transportadora, além de compensar os danos que o cliente sofreu como resultado, deverá indemnização igual à compensação, que teria de pagar se tivesse sido abordado a tempo como transportadora.
3. Se as mercadorias não forem entregues no seu destino sem demora no estado em que foram disponibilizadas, o remetente, na medida em que não cumpriu o contrato de transporte que concluiria com outra pessoa, é obrigado a notificar o cliente com o qual celebrou acordos de transporte para cumprir o seu compromisso sem demora. Também é obrigado a disponibilizar ao cliente todos os documentos à sua disposição ou que possa fornecer razoavelmente, desde que esses documentos possam pelo menos servir para recuperar os danos sofridos.
4. A partir do momento em que o remetente comunica claramente ao remetente que deseja exercê-los, o cliente adquire os direitos e poderes que receberia se tivesse concluído um acordo como expedidor. Pode tomar medidas legais a esse respeito se enviar uma declaração a ser emitida pelo remetente - ou no caso de falência do seu curador - de que foi feito um acordo entre este e o remetente no que diz respeito às mercadorias a serem transportadas.
5. Se o remetente não cumprir uma obrigação a que se refere o terceiro parágrafo, além de compensar os danos sofridos pelo cliente como resultado, deve uma compensação igual à indemnização que o cliente poderia ter recebido deste, se tivesse executado o contrato que concluiu, menos a compensação que o cliente pode ter recebido da transportadora.

Pagamento
Artigo 17.
1. O cliente é obrigado a pagar ao remetente a taxa acordada e os outros custos, frete, direitos etc. decorrentes do contrato e / ou destas condições na chegada das mercadorias recebidas ou quando as mercadorias são enviadas. O risco de flutuações de preços é suportado pelo cliente.

A compensação acordada e outros custos, frete, direitos etc. decorrentes do contrato e / ou destas condições também são devidos se ocorrerem danos durante a execução do contrato. © Direitos de Autor FENEX, 2004 6-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.
2. Se, em derrogação do parágrafo 1 deste artigo, um termo de crédito for aplicado pelo remetente, o remetente poderá cobrar uma sobretaxa de limitação de crédito.
3. Se o cliente não pagar o valor devido imediatamente após a faturação ou após o período de crédito aplicado, o remetente poderá cobrar os juros estatutários de acordo com os artigos 6: 119 ou 6: 119a do Código Civil Holandês.
4. No caso de rescisão ou dissolução do contrato, todas as reclamações - incluindo futuras - do remetente serão imediatamente devidas e pagáveis ​​na íntegra. De qualquer forma, todas as reivindicações serão imediatamente devidas e pagáveis ​​na íntegra se:
– a falência do cliente é anunciada, o cliente solicita a suspensão de pagamento caso contrário perde a livre disposição dos seus ativos;
– o cliente oferece uma liquidação aos seus credores, está com pagamento em atraso, deixa de operar os seus negócios ou - no caso de uma pessoa jurídica ou empresa - se for dissolvido.
5. O cliente é obrigado, em virtude do contrato de remessa, a fornecer uma proteção na primeira reivindicação do remetente pelo que o cliente deve ao remetente. Essa obrigação também existe se o cliente já teve que fornecer proteção em virtude do valor devido.
6. O remetente não é obrigado a fornecer proteção dos seus respetivos recursos para pagamento de frete, direitos, taxas, impostos e / ou outros custos, caso isso seja necessário. Todas as consequências de não cumprir ou não cumprir imediatamente uma obrigação de fornecer proteção serão suportadas pelo cliente.
Se o remetente tiver fornecido proteção dos seus respetivos, poderá exigir o pagamento imediato do valor pelo qual a proteção foi fornecida ao cliente.
7. O cliente é sempre obrigado a reembolsar quaisquer valores a serem reclamados em virtude da ordem a ser cobrada por qualquer governo, bem como multas impostas relativas ao remetente.
O cliente também deve compensar os valores acima mencionados ao remetente se o remetente em virtude do contrato de remessa for abordado por terceiros contratados por este.
8. O cliente deve reembolsar sempre o remetente pelos valores reclamados ou reclamados pelo remetente em virtude do pedido como resultado do frete e custos cobrados incorretamente.
9. O cliente não tem o direito de solicitar compensação por valores que o remetente cobra ao cliente sob um contrato entre ambos.

Artigo 18.
1. Os pagamentos pré-pagos são considerados como realizados relativamente a reclamações dedutíveis, independentemente de outras instruções terem sido fornecidas com o pagamento.
2. Se, em caso de atraso no pagamento, a cobrança é feita por meios judiciais ou outros, o valor da reclamação é aumentado em 10% relativos aos custos administrativos, enquanto os custos judiciais e extrajudiciais são suportados pelo cliente até ao valor pago ou devido pelo remetente.
© Direitos de Autor FENEX, 2004 7-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.

Artigo 19.
1. O remetente terá uma garantia e um direito de retenção contra qualquer pessoa que exija a entrega, de todos os artigos, documentos e quantias que o remetente tenha ou receba por qualquer motivo e para qualquer finalidade, por todas as reivindicações que tenha ou possa ter contra o cliente ou proprietário. Ao remeter as mercadorias, o remetente tem o direito de verificar o valor devido ou levantar uma letra de câmbio com os documentos de remessa anexados.
2. O remetente também pode exercer os direitos que lhe são conferidos no parágrafo 1 para o qual o cliente ainda lhe deve em virtude de pedidos anteriores.
3. O remetente também tem o direito de exercer os direitos que lhe são conferidos no parágrafo 1 para o que é descontado no artigo.
4. No caso de não pagamento do crédito, a venda da garantia ocorrerá da maneira determinada por lei ou - se houver acordo sobre este - por meios privados.

Disposições finais
Artigo 20.
1. Os procedimentos legais e de arbitragem contra terceiros não são conduzidos pelo remetente, a menos que se declare disposto a fazê-lo a pedido do cliente e às custas e riscos do cliente.

Artigo 21.
1. Sem prejuízo do disposto no parágrafo 5 deste artigo, qualquer reclamação será barrada pelo prazo de nove meses.
2. Qualquer reclamação contra o remetente expira no prazo de 18 meses.
3. Os prazos referidos nos parágrafos 1 e 2 terão início no dia seguinte àquele em que o crédito é devido ou no dia seguinte àquele em que a parte lesada tomou conhecimento do dano. Sem prejuízo do disposto acima, os prazos acima mencionados para reclamações relacionadas com danos, depreciação ou perda das mercadorias começam no dia seguinte ao da entrega. O dia da entrega é considerado como significando o dia em que as mercadorias foram entregues a partir do meio de transporte ou, se não tiverem sido entregues, que deveriam ter sido entregues.
4. Na eventualidade do remetente ser chamado por qualquer governo ou terceiros conforme mencionado no artigo 17, parágrafo 7, o período referido no parágrafo 1 começará a partir do primeiro dos seguintes dias:
• no dia seguinte àquele em que o remetente é o governo ou em que o terceiro foi abordado;
• no dia seguinte àquele em que o remetente tiver resolvido a reclamação contra este.
Se o remetente ou um terceiro contratado a que se refere o artigo 17, parágrafo 7, tiver apresentado uma objeção e / ou recurso, o prazo a que se refere o parágrafo 1 terá início no dia seguinte àquele em que a decisão sobre a objeção e / ou recurso é final.
© Direitos de Autor FENEX, 2004 8-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.
5. A menos que ocorra a situação a que se refere o parágrafo 4 deste artigo, se uma das partes for abordada após o prazo de prescrição pelo que deve a terceiros, um novo período de prescrição de três meses terá início.

Artigo 22.
1. Todos os acordos aos quais essas condições se aplicam estarão sujeitos à lei holandesa.
2. O local de atividade do expedidor é o local da liquidação e da liquidação dos sinistros.

Disputas
Artigo 23.
1. Todas as controvérsias que possam surgir entre o remetente e a sua contraparte serão decididas por três árbitros, com exclusão do tribunal comum da mais alta jurisdição. Uma disputa está presente quando uma das partes declara que esse é o caso.
Sem prejuízo do disposto no parágrafo anterior, o remetente pode enviar reivindicações de montantes exigíveis cujo endividamento não tenha sido contestado por escrito pela contraparte dentro de quatro semanas a contar da data da fatura, ao tribunal holandês competente no local de negócios do remetente. O remetente também pode enviar reivindicações de natureza urgente em procedimentos sumários ao tribunal holandês competente no local de negócios do remetente.
2. Um dos árbitros é nomeado pelo Presidente ou Vice-Presidente da FENEX; o segundo é nomeado pelo decano da Ordem dos Advogados do distrito em que o remetente mencionado está estabelecido; o terceiro é nomeado pelos dois árbitros, assim designados em consulta mútua.
3. O Presidente da FENEX nomeará uma pessoa competente no campo da transmissão; o decano da Ordem dos Advogados deverá nomear um advogado; o terceiro árbitro deve ser preferencialmente uma pessoa especialista no comércio ou negócios, na qual a contraparte do remetente exerce atividade.
4. A parte que solicitar uma decisão sobre a disputa notificará o secretariado da FENEX por carta registada ou fax, com uma breve descrição da disputa e a sua reivindicação, bem como o envio simultâneo da decisão pela diretoria do montante dos custos administrativos a serem determinados pela FENEX, pagáveis como compensação pelos esforços administrativos da FENEX numa arbitragem.
Um caso está pendente do dia da receção no secretariado da FENEX da referida carta ou fax registado.
5. Após o recebimento do pedido de arbitragem acima mencionado, o secretariado da FENEX confirmará a sua receção o mais rapidamente possível e enviará uma cópia à contraparte, ao Presidente da FENEX, ao decano da Ordem dos Advogados, para os dois últimos com o pedido de nomeação de um árbitro e para informar o secretariado da FENEX do nome e local de residência dos nomeados.
Após a receção desta notificação, o secretariado da FENEX informará o mais rapidamente possível as duas partes nomeadas da sua nomeação, enviando uma cópia do pedido de arbitragem e uma cópia destes termos e condições gerais, com o pedido de nomeação do terceiro árbitro a informar o secretariado da FENEX que foi designado como tal. © Direitos de Autor FENEX, 2004 9-9 Estas condições não podem ser reproduzidas, armazenadas numa base de dados ou publicadas de qualquer forma sem a permissão prévia por escrito da FENEX.
Após recebê-lo, o secretariado da FENEX informará o mais rapidamente possível o terceiro árbitro da sua nomeação, com uma cópia do pedido de arbitragem e uma cópia destes termos e condições gerais. O secretariado da FENEX informará ambas as partes que foram nomeadas árbitros.
6. Se a nomeação dos três árbitros não tiver sido feita dentro de dois meses a partir da apresentação do pedido de arbitragem, todos os árbitros serão, a pedido da parte mais diligente, nomeados pelo Presidente do Tribunal Distrital no qual o remetente está localizado.
7. O Presidente dos árbitros será a pessoa nomeada pelo Decano. Se a nomeação for feita pelo Presidente do Tribunal Distrital, os árbitros determinarão mutuamente quem atuará como presidente. O local da arbitragem é o local onde o presidente dos árbitros é estabelecido.
Os árbitros devem decidir como homens justos sujeitos ao cumprimento das disposições obrigatórias aplicáveis de justiça. Onde aplicável, estes também aplicarão as disposições dos acordos de transporte internacional, incluindo a Convenção sobre o acordo para o Transporte Internacional de Mercadorias por Estrada (CMR).
Os árbitros determinam a maneira pela qual a arbitragem será tratada, entendendo que, em qualquer caso, as partes terão a oportunidade de explicar a sua posição por escrito e explicá-la oralmente.
8. A instrução aos árbitros continua até à decisão final. Estes arquivarão o seu julgamento na Secretaria do Tribunal Distrital do distrito em que se encontra o local da arbitragem, enviando também cópias para cada uma das partes e para o secretariado da FENEX.
Os árbitros podem exigir um depósito de taxas de arbitragem do reclamante ou de ambas as partes com antecedência; estes podem exigir suplementação durante o tratamento. Se o depósito exigido pelos árbitros do reclamante não tiverem sido depositados dentro de três semanas após a solicitação, será considerado que a parte retirou a arbitragem. Os árbitros determinarão no seu julgamento qual das duas partes ou para qual parte cada parte terá que arcar com os custos da arbitragem. Isto inclui as taxas e desembolsos dos árbitros, o valor dos custos administrativos pagos quando se candidata à FENEX, bem como os custos incorridos pelas partes, na medida em que os árbitros considerem razoavelmente necessário. O valor devido aos árbitros será recuperado, na medida do possível, do depósito.

Artigo 24.
1. Deze algemene voorwaarden kunnen worden aangehaald als “Nederlandse Expeditievoorwaarden”.

FENEX, Organização Holandesa de Remessas e Logística Seattleweg 7, Gebouw 3, Havennummer 2801, 3195 ND Pernis-Rt PO Box 54200, 3008 JE Roterdão